Redação jornalística para weblogs

18/03/2010

Abaixo recortei os trechos que me pareceram mais significativos de três textos de Carlos Castilho sobre redação jornalística em blogs.

Blog Código Aberto

Leitura em camadas nos weblogs – postado em 9/6/2005

A pirâmide invertida em weblogs – postado em 10/5/2005

Redação Jornalística em weblogs – postado em 2/5/2005

Vamos conversar sobre isso na aula de hoje.

Para começar, algumas questões:
1) O texto de um blog é igual ao de um jornal?
2) Existe um estilo próprio dos blogs?
3) Eles podem usar a pirâmide invertida?
4) Como fica o problema da não linearidade narrativa, uma das principais características do texto online?

Não há consenso.

Mas existem alguns padrões que têm funcionado bem:

Textos curtos (ler na tela é 25% mais cansativo do que no papel / maioria das pessoas dedica no máximo de 20 a 25 segundos por página na web),

Blogs têm uma lógica diferente da usada para os jornais e revistas. A ordem fica invertida se simplesmente recortarmos o texto de um meio impresso – Matérias “fragmentadas”.

Nos weblogs, antes de publicar, o autor deveria dividir o assunto em blocos por interesse e tratar cada um deles como se fosse uma reportagem isolada. A pirâmide invertida funciona em cada bloco, mas não é usada para o conjunto dos textos. Cada bloco estará organizado em torno de um subtema predominante e cada parte se relaciona com as demais através de hiperlinks.

Em cada bloco, todos os elementos do texto jornalístico são levados em conta, inclusive a pirâmide. Uma analogia com o texto escrito poderia ser a dos boxes ou quadros que num jornal ou revista funcionam como apêndices do texto principal. Só que num blog, cada box é uma matéria independente.

A sequência de leitura é cronológica: o começo ou o primeiro bloco é lido por último, pois está no final da fila depois da publicação das demais partes (Depende, para quem acessar no dia da publicação será o primeiro) Na estrutura não linear clásica, o internauta tem total liberdade para decidir como vai ler a matéria.

Na web e nos weblogs, antes de pensarmos na pirâmide, temos que desenvolver o que se chama de arquitetura da informação, ou seja a segmentação estruturada do tema central. Só assim é possivel criar blocos de informação interligados e independentes um do outro, capazes de serem lidos em qualquer ordem.

A fragmentação em blocos tem a vantagem de permitir a participação dos leitores no desenvolvimento do texto através do recurso dos comentários.

Textos curtos não quer dizer que os textos mais extensos sejam proibidos na rede. Podem ser veiculados para serem lidos impressos – suporte – ou editados para web – a web como novo meio.

A concisão e a objetividade são absolutamente essenciais na redação em weblogs, porque a rapidez na leitura tornou-se uma rotina na Web. Mas qualquer redator sabe que o texto enxuto é uma habilidade rara e só alcançável após sucessivas revisões.

A leitura em camadas permite ao leitor “fotografar” ou “escanear” o texto sem lê-lo palavra por palavra. Um destaque por parágrafo. O destaque pode incluir mais de uma palavra, sendo desaconselhável marcar mais de quatro ou cinco. É como um texto dentro do outro.

A produção de textos para leitura em camadas é um dos diferenciais dos textos nos blogs, junto com a estrutura não linear, a narrativa em ordem cronológica inversa e o uso de hiperlinks. Por isto a redação jornalística em weblogs é bem mais trabalhosa e demorada do que num texto para veículos impresso.

Edição em blogs

30/04/2008

Alguns links que organizam o que temos falado aos poucos em aula sobre edição em blogs:

Redação jornalística para blogs

Dicas de edição para blogs

Eyetrack 3

23 lições sobre blogs, Por Alexandre Gonçalves.

Os dez erros mais comuns em blogs, por Jakob Nielsen, tradução de Carlos Castilho