Diretor de Comunicação do Google no Brasil grava mensagem para alunos de jornalismo

25/11/2008

Na conversa após a palestra (vejam o post abaixo), uma iniciativa muito legal de Rodrigo Lóssio, responsável pela Comunicação na Sucesu-SC, perguntei para o Diretor de Comunicação do Google no Brasil, Felix Ximenes, que conselho ou dica ele teria hoje para quem está cursando jornalismo. Eis a resposta:

Compartilhando anotações de palestra sobre Google, jornalismo e inovação

25/11/2008

Quando eu assisto palestras como a de Felix Ximenes, diretor de comunicação do Google no Brasil, na última quinta-feira durante o Fórum SUCESU-SC de Inovação Tecnológica, é inevitável lembrar dos meus alunos de jornalismo. Queria que estivessem ali. Em pouco mais uma hora, uma boa síntese de temas importantes relacionados com internet e inovação a partir do caso Google.

O que eu mais gostaria de destacar para os estudantes é o fato de que o Google, uma empresa de tecnologia que fatura majoritariamente como empresa de mídia (com publicidade), não tem departamento de inovação. Todos os funcionários trabalham com inovação. Segundo Ximenes, o Google é uma empresa de serviços, a tecnologia é apenas um meio. “Trabalhamos com inovação em serviços”, diz. E nada de armadilhas para fidelizar o internauta: “Não há nada que prenda o usuário nos serviços do Google, a qualidade é que mantém o público”.

Mas e o que isso tem a ver com jornalismo? As empresas de mídia deviam seguir o mesmo caminho, buscando novos modos de oferecer seus conteúdos, desenvolvendo um “jornalismo serviço”, em vez de insistirem somente no “jornalismo produto”, como fala R.C. Alves. É preciso se reiventar, com foco no serviço, no conteúdo: as ferramentas tecnológicas são meios, que devem ser explorados, mas com o objetivo de prestar um serviço inovador.

Quando comentou a fase atual da internet — que ele chama de internet relacional — Ximenes destacou que hoje a rede é direcionada pelos usuários e não pelos grandes players. Segundo o diretor do Google, a WEB 2.0 é o usuário no poder. E o foco no usuário seria um dos princípios básicos do Google, assim como “ouvir os pares” (colaboradores, desenvolvedores). E para os negócios, um princípio fundamental é a “escalabilidade”. Se não dá pra distribuir por todo o mundo não é negócio para o Google.

Outra característica importante do Google comentada por Ximenes: lance rápido, deixe o usuário decidir se o serviço é bom. “Inovação não é perfeição instantânea”, enfatiza.

Para Ximenes, os pilares da revolução digital são:

  • o barateamento do poder de armazenamento de dados;
  • a popularização da banda larga,
  • a democratização das ferramentas de produção, que permitem aos usuários gerar conteúdo
  • os diversos “devices” que podem acessar a rede (Iphone etc)
  • Sobre tendências no mundo digital, o Diretor do Google foi claro: “Cada vez mais a primeira experiência das pessoas com internet é via celular. Esse é o caminho a ser seguido”.

    Rodrigo Lóssio, assessor de comunicação da Sucesu-SC, e Alexandre Gonçalves, do Coluna Extra, também estiveram lá e tem comentários interessante em seus blogs sobre outros pontos da palestra que não abordei aqui.

    Exercitando a busca na internet

    05/08/2008

    Vamos ver quem acha primeiro?

    EXERCÍCIO 2

    1. Na palestra de Luis Nassif, você ouviu o palestrande citar seu livro “O jornalismo dos anos 90″. Procure entre os artigos que citam este livro se há algum texto relacionando futebol e economia. Cole o resultado do google que mostra este artigo.

    2. Você está pesquisando sobre a indústria de comunicação no Brasil e gostaria de saber se a ABAP possui algum estudo em pdf sobre o assunto. Procure, e, se encontrar, cole abaixo o título e o endereço.

    3. Encontre na internet artigo(s) acadêmico(s) que inclua em seu título google e direitors autorais. Cole abaixo os resultados do google que compõem a resposta.

    4. Introdução da questão: Todos os anos, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) edita – inclusive em português – o Relatório do Desenvolvimento Humano. A pergunta: Na última edição, o Brasil ficou em qual posição no ranking do IDH (índice de desenvolvimento humano)? O que deve ser respondido: a posição do Brasil no ranking do IDH e o link da página onde foi encontrada a informação.

    EXERCÍCIO 1

    - Você está fazendo uma reportagem de revista sobre o comportamento dos jovens em relação ao consumo de informação. Pesquisando na internet para a construção da pauta você descobriu que a ANJ (Associação Nacional de Jornais) organiza um evento chamado “Jovens Leitores”.

    Procure no site da ANJ uma ou mais apresentações em power point usada(s) sobre o assunto. Cole abaixo os resultados da sua busca e diga como você chegou até eles (cole o texto que aparecer no campo de pesquisa na página de resultados)

    - Para Manuel Castells, quais as características da internet brasileira hoje? Cole a resposta e o enderçeo da página onde ela foi encontrada.

    - Encontrar planilha com as principais causas de morte em idosos no município de São Joaquim. Indique a principal causa de morte dos idosos e cole o enderçeo da planilha.

    - Três mil metros cúbicos de água equivalem a quantos litros? Faça a conversão e indique a página que lhe ajudou a obter a resposta,

    - Quem tem mais links para o seu site, Avai ou Figueirense?

    Busca Acadêmica

    1. Suponhamos que você leu o trabalho “Jornalismo Online e Identidade Profissional do Jornalista”, apresentado em 2001 por ZL ADGHIRNI no encontro Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação – COMPÓS. Você gostaria de saber se há disponível na internet outros artigos acadêmicos que tenham citado este trabalho de Adghirni. Para responder esta questão, copie abaixo os resultados do Google Acadêmico que mostram os artigos que citam o trabalho “Jornalismo Online e Identidade Profissional do Jornalista”, de autoria de ZL Adghirni.

    2. Você está fazendo uma reportagem sobre o uso de drogas entre estudantes e gostaria de encontrar um pesquisador do assunto para entrevistar, em Florianópolis. Encontre: o nome de um pesquisador com artigo acadêmico publicado sobre o assunto; a universidade e o departamento onde ele trabalha, seu telefone de trabalho e e-mail.

    Começando a entender como pesquisar na web

    29/07/2008

    “Uma coisa é o artefato tecnológico: o computador, o vídeo, etc. A outra é o pensamento tecnológico, que requer o artefato, mas existe de modo independente. O pensamento tecnológico é a capacidade de pensar um problema, delineá-lo, armar um projeto para resolvê-lo, buscar os materiais necessários e conseguir solucioná-lo. O fundamental no sistema educativo é desenvolver o pensamento tecnológico, para aplicar o conhecimento na prática. Não é simplesmente por ter um computador que a escola e as aulas deixam de ser ultrapassadas”.

    Inês Aguerrondo, socióloga, em entrevista à revista Nova Escola, março 2004. Citada no Manual Yahoo! de busca na Internet Versão PDF
    Continue lendo »

    Além do básico no Google

    26/03/2008

    Já faz um tempo publiquei aqui no blog um post sobre busca na web que vai servir para orientar nossa aula de hoje. Confiram.

    Leitura sobre buscas na internet

    21/09/2007

    Nesta sexta e na próxima quarta-feira, enquanto parte da turma de MDI 1 faz sua avaliação para a PR1, a outra parte tem como tarefa fazer uma leitura para iniciarmos uma nova fase na nossa disciplina.

    Vamos começar a trabalhar com busca de informações na internet. Por isso, leiam, como introdução ao tema, pelo menos três textos da Wikipedia, a enciclopédia livre:

    Sobre o Google

    Site de Busca

    Page Rank