Trabalho sobre formatos de publicidade na internet

06/11/2007

Formatos a serem pesquisados:

Banner, pop-up e relacionados (Interstitial e Floater)

Redes sociais (orkut, myspace, facebook etc )

Blogs

Msn e outros messengers

Viral

Links patrocinados

Hotsites

Second life e outros games on-line

O trabalho de pesquisa deve abranger:

Definição
Funcionamento
Vantagens / Desvantagens (indicações de uso)
Cases (pelo menos 3)
Referências (fontes usadas)

Entrega:
Apresentação 20 minutos + 10 minutos para debate
Texto impresso
Perguntas para demais grupos (pelo menos 3)

Sugestões de sites para pesquisa:

www.iabbrasil.org.br
www.webinsider.com.br
Scholar.google.com.br

www.news.google.com.br

Artigos sobre Links patrocinados – Ricardo Vaz Monteiro

Central de Anunciante do IG

Portais > Publicidade

Busca é o principal veículo para fixar marcas, afirma John Battelle (IDG Now)

Mais notícias selecionadas por Rmosimann para vocês

A Evolução da Publicidade On-line: do banner à web 2.0 Monografia Diego Cox – 2006.

Publicidade na Internet. Um estudo dos formatos de anúncios on-line.
Por Natacha Stefanini Canesso

Critérios para os blogs da quarta fase

15/06/2007

Cada blog deve ter:

1. Pelo menos três posts;

2. Um post deve ter foto,

3. Um post com um vídeo publicado no youtube relacionado ao tema do blog;

4. Lista de links;

5. Uso de marcadores (nos posts e na barra lateral);

6. Os blogs devem ser temáticos, focados em algum assunto e direcionados para determinado público-alvo. O título do blog precisa ser “igual” ao endereço do blog, ou seja, se o blog chama-se “Publicidade na TV” o endereço deve ser publicidadenatv.blogspot.com;

7. Na barra lateral, notícias sobre o tema do blog agregadas via busca de notícias (adicionar elemento de página “reportagem”)

8. “Estilo blog”: texto informal, conversando com o leitor, sem cópias integrais, com citação de fontes através de hipertexto , ou seja, links para os autores dos textos/vídeos comentados.

Cada um dos ítens acima vale um ponto, somando oito pontos. Os dois pontos restantes da nota serão concedidos de acordo com análise de criatividade, participação e “conjunto da obra”.

ATENÇÃO: usam o espaço de comentários deste post para informar o endereço dos seus blogs.

Você gostaria de ter uma segunda vida?

10/05/2007

Uma vida virtual é a promessa do Second Life, jogo on-line que foi muito além de uma simples brincadeira e movimenta milhões em diversos setores, entre eles a publicidade. Abaixo colei alguns links para conversarmos um pouco sobre o SL.

Second Life Brasil

Em função do crescente número de adeptos da SL e o sucesso de games como World of WarCraft e Ragnarök muitas empresas ao redor do mundo começam a testar estratégias de marketing e literalmente correr para se posicionarem neste “novo mundo” que já tem até uma sigla difícil de decorar: MMOSG (Massively Multiplayer Online Social Game) que daria para traduzir para: jogo de interpretação online e massivo para múltiplos jogadores. B2B Magazine

Empresários aderem de vez ao ‘Second Life’

Para especialista, empresas devem inovar em estratégias para o mundo virtual.

Muito mais do que endossar o que se assiste por meio dos comerciais, as empresas desejam que suas mensagens e produtos estejam incorporados às mídias a que os consumidores potenciais estão expostos.

O objetivo é fazer parte de tudo o que interessar ao consumidor, cada vez mais.

(Link-Estadão)

Outro conceito interessante: Alternate Reality Game.

Um alternate reality game (ARG) é um tipo de jogo que combina as situações de jogo com a realidade, recorrendo aos media do mundo real, de modo a fornecer aos jogadores uma experiência interactiva.

Os ARGs são caracterizados por envolver os jogadores nas histórias, encorajando-os a explorar a narrativa, resolver os desafios e a interagir com as personagens do jogo. Este tipo de jogos desenvolve-se a partir de sites, e-mails, telefonemas, entre outros meios de comunicação comuns.

Vejam o caso do Guaraná Antarctica:

Zona Incerta

…ao site Zona Incerta, uma comunidade criada pelo biólogo Miro Bittencourt – uma das pouquíssimas pessoas que conhecem a fórmula do Guaraná Antarctica – para pesquisar uma caixa de documentos deixada na década de 1940 pelo aventureiro Tomas Hardenberg. Por conta dessas pesquisas, Miro ficou mais de um mês desaparecido. Agora ele voltou e trouxe algumas informações sobre essas “invasões” nos nossos anúncios.

Ao que parece, quase todos os textos e links estão relacionados a um segredo deixado por Hardenberg. Eles são a chave para encontrar garrafas de Guaraná Antarctica escondidas há mais de meio século em cidades de todo o Brasil. Cada uma delas contém o pedaço de um mapa, que não sabemos de onde é, mas que, segundo o relato de Hardenberg, pode explicar por que esses textos estão aparecendo aqui no DesafioGA e solucionar mistérios ainda maiores.

O inimigo tem nome: Arkhos Biotechnology OU Por que The Uncles é uma droga

Guaraná revela final de seu Alternate Reality Game

Jogo virtual confunde agência, senador e deputada

Desafio GA

Links para ir mais fundo, em inglês:

Unifiction – Agência norte-americana especializada em Args

ArgNet

Site básico

07/05/2007

O site deve conter:

Pelo menos cinco páginas

Formulário de contato

Imagens e texto

Um padrão de layout para home e outro padrão para as páginas internas – seguindo a mesma identidade visual.

Passos para a criacao do site:

Planejar arquitetura da informação
Fazer layout da home no photoshop
Fazer layout do modelo de página interna
Recortar e implantar layout da home no dreamweaver
Recortar e implantar no dreamweaver o modelo de página interna
Fazer todas as paginas internas
Revisar
Testar links
Fazer upload

Formatos de anúncios na web

11/04/2007

Publicidade na Internet. Um estudo dos formatos de anúncios on-line.

Por Natacha Stefanini Canesso

A autora relaciona e define os formatos de publicidade on-line mais usados:
Bannes e pop-ups, E-mail marketing, Viral, Links patrocinados, pop up, interstitial, marketing de mensagens (chats), patrocínios.

Eu acrescentaria a lista também a publicidade nas Redes Sociais e blogs para abranger estes fenômenos junto com a produção de conteúdo do usuário e a interatividade com as marcas.

Creative commons

10/04/2007

Definição (wikipedia)
O sítio (site) do Creative Commons permite que detentores de copyright possam oferecer alguns dos seus direitos ao público, enquanto retêm outros, através de uma variedade de licenças e de contratos. Estes podem incluir licenças de domínio público ou de conteúdo aberto. A intenção é evitar problemas com a lei actual sobre copyright. Leia mais

Creative Commons Brasil

Busca por conteúdo licenciado em Creative Commons

Exercícios de pesquisa: Scholar e del.icio.us

03/04/2007

Você está produzindo um trabalho sobre formatos de publicidade na internet. Procure um artigo acadêmico sobre o tema e, caso este artigo seja citado por outro, indique-0 também. (cole os resultados da pesquisa como resposta)

Suponhamos que você leu o livro “Os piores textos de Washington Olivetto” e gostaria de saber se há disponível na internet outro(s) artigo(s) acadêmico que tenha citado este livro. Para responder esta questão, copie abaixo o(s) resultado(s) do Google Acadêmico que mostra o(s) artigo(s) que cita o livro de Olivetto.

Quantos artigos e/ou livros publicados a partir de 2000 são encontrados através do mecanismo de busca acadêmica do Google com as palavras publicidade e internet no título? Destes, quais o mais citado? Quais podem ser lidos na internet?

Você está pesquisando sobre publicidade e telenovelas e quer fazer uma busca dos artigos sobre o tema publicados pelo Intercom. Use o Google Acadêmico e indique o número de artigos encontrados e os dois primeiros resultados.

Encontre no del.icio.us quantas pessoas tem cadastrado o site Brainstorm9 e indique quais as cinco palavras-chave mais associadas pelos usuários ao site.

Cadastre no seu del.icio.us dois sites sobre publicidade e indique o link para o usuário rmosimann.

Comunidades e Publicidade

29/03/2007

Textinho sobre um assunto que conversamos em aula na semana passada com as turmas de TOT_V. Saiu no IDG Now. Vale a pena clicar para ver o ppt da Visa citado na matéria.

Em Miami, durante evento sobre o mercado Latino-Americano de Mídia Online, a Visa expôs um exemplo interessante (e brasileiro) sobre como as empresas podem usar as comunidades para “afinar” seu discurso sobre as marcas: a campanha “porque a vida é agora”.
Segundo a vice-presidente de comunicação da Visa, “não existe nada melhor que a força das comunidades para gerar envolvimento do cliente com a marca”.

Mas ao mesmo tempo que as comunidades são usadas para alimentar o “envolvimento” com as marcas, elas também podem gerar muita dor de cabeça para os anunciantes e suas agências.
Há 10 anos, se alguém tivesse uma má experiência com uma marca, tudo o que podia fazer era ir ao Procon ou, com sorte, obter algum espaço na coluna de reclamações de um jornal. Agora, somente com uma placa de captura de vídeo, uma webcam e alguns sharewares e é possível não somente relatar essa experiência, como também fazer uma sátira ou crítica sobre a comunicação da marca ou empresa, disponível para milhares de outros consumidores.

Durante os últimos 50 anos, as organizações ditavam o “discurso” sobre suas marcas e os consumidores apenas podiam decidir se ouviam ou não. Agora, eles estão falando de volta. O “discurso” deixou de ser um privilégio do anunciante. Ainda é um movimento tímido, mas seu impacto sobre o modelo de negócios do marketing e da propaganda será explosivo.

O fim do blogger

08/03/2007

Calma, o blogger não acabou e nem deve morrer tão cedo, o que está perto de terminar são nossas aulas “dissecando” a ferramenta de publicação de blogs. Hoje vamos analisar as configurações do modelo, como e quais as possibilidades para inserir elementos na página, alterar fontes e cores e conhecer o que o sistema esconde por trás de sua amigável interface.

Dois links para referência:

Dicas para personalizar o cabeçalho

Propriedades de CSS (em inglês)

Blogs, empresas e redes sociais

08/03/2007

Além do texto publicado no post anterior – Blogs Corporativos – quero indicar outros dois textos curtos e interessantes publicados no Webinsider. Na próxima aula vamos conversar sobre o assunto e gostaria de saber a opinião de vocês. Para quem lê em inglês, tem uma matéria boa na Business Week (may/2006) sobre blogs de empresas.


Os blogs estão virando orkuts e chegam às intranets

Por Carlos Nepomuceno. Alguns trechos para motivar sua leitora do original:

É o paradoxo da publicação em rede: a mesma ferramenta maravilhosa que facilita a publicação de um, permite o mesmo para milhões, tirando de todos a possibilidade de atenção.

Os bens visitados realmente serão poucos e bons.
Serão aqueles que conseguirão criar em torno, por uma série de requisitos, uma comunidade de leitores.
E os que vêm surgindo para abrir canal entre as empresas do mercado com seu público, como é o caso da Boeing, Walt Disney e Mc Donald’s, por exemplo.

A filosofia por trás dos blogs corporativos, que já tem até consultor e especialista é: se for para falar mal, fale pra mim mesmo!

“Comunidades web provêem rica interação entre empresários, empresas parceiras e consumidores que podem tanto apoiar ou ameaçar a empresa, conforme esta interação seja feita”.

“Como o número de participantes e os tipos de modelos de colaboração tendem a crescer, o poder irá tender cada vez mais para o consumidor, forçando as empresas a agir de forma proativa no mercado e analisar a influência destas comunidades”.

“Os gestores têm de deixar de pensar nas intranets como algo estático, mantido por um pequeno grupo dedicado ao assunto. Têm de pensar as intranets como dinâmicas, como um recurso gerado coletivamente e de responsabilidade de todos”.

Marcas expostas, empresas nuas e blogs corporativos
Por Ricardo de Bem. Alguns trechos para motivar a leitura do original:

O velho ensinamento de que um cliente decepcionado propaga sua experiência negativa a muito mais pessoas do que em caso de satisfação plena nunca foi tão válido como nos tempos atuais.

Os blogs corporativos, por exemplo, são a coqueluche do momento, merecendo até mesmo capa de publicações nacionais. Entretanto, mais importante do que fixar o foco em um recurso específico, é perceber um movimento maior e mais amplo que avança em progressão geométrica e representa uma força que, inclusive, já mudou as regras do jogo.

Portanto, é hora de conhecer e assumir essa realidade e tentar participar do jogo. Espectadores não mudam o resultado. Esqueça a idéia de que o único jeito de sua empresa usar a internet é ter um website. Pesquisas já não são mais a única maneira de conhecer a opinião do seu público–alvo. Muitas empresas já criaram seus blogs corporativos, por exemplo, e obtiveram saldo positivo. Há muitas formas de ser parte ativa desse organismo vivo. E de aprender a evoluir com ele.